A Rã e o Boi - Fedro

Estavam duas Rãs à beira de um charco quando a mais nova comentou:

- Comadre, hoje vi um monstro terrível: era maior do que uma montanha, tinha chifres e uma longa cauda.

- O que viste foi apenas o Boi do lavrador - esclareceu a Rã mais velha. - E, além disso, não é assim tão grande... Eu posso ficar do tamanho dele. Ora observa.

Dito isto, começou a inchar e a esticar-se muito, muito...

- O Boi era tão grande como eu? - perguntou ela quando já estava tão grande como um Burro.

- Ó, muito maior! - respondeu a jovem Rã.

Então a Rã mais velha respirou fundo e inchou, inchou... até que rebentou.



Moral da história:

Mantém-te sempre no lugar que te corresponde.


Copiado do AA

A Andorinha, Fábulas de Leonardo Da Vinci

Resultado de imagem para andorinha


A andorinha, com gritos de alegria, voltou para seu antigo ninho.
Primeiro limpou-o e arrumou-o, e em seguida pôs ovos. Depois chocou-os. Finalmente, quanto os filhotes nasceram, começou a voar para um lado e para outro, indo e vindo do ninho, a fim de alimentar sua grande família.
Seu companheiro, em contrapartida, voava o tempo todo. Voava enquanto a andorinha arrumava a casa, enquanto os ovos estavam sendo chocados, e continuou voando todos os dias, de manhã à noite, sem um instante de repouso.
- Por que é que você está sempre voando? - perguntaram-lhe um dia.
- Porque não gosto de trabalhar - foi a resposta.



Leonardo da Vinci

A Aranha e o Buraco da Fechadura, Fábulas de Leonardo Da Vinci

Após ter explorado a casa toda, por dentro e por fora, uma aranha resolveu esconder-se no buraco da fechadura.
Que esconderijo ideal! Pensou ela. Quem jamais havia de imaginar que ela estava ali? E além disso podia espiar para fora e ver tudo o que acontecia.
Ali em cima, disse ela para si mesma, olhando para o alto da porta:
- Vou fazer uma teia para moscas - ali em baixo, acrescentou, observando a soleira - farei outra para besourinhos. Aqui, ao lado da porta, vou armar uma teiazinha para os mosquitos.
A aranha estava exultante. O buraco da fechadura proporcionava-lhe uma nova e maravilhosa sensação de segurança. Era tão estreito, escuro, e era revestido de ferro. Parecia-lhe mais inexpugnável que uma fortaleza, mais garantido que qualquer armadura.
Imersa nesses deliciosos pensamentos, a aranha ouviu o som de passos que se aproximavam. Correu de volta para o fundo de seu refúgio.
Porém a aranha esquecera-se de que o buraco da fechadura não havia sido feita para ela. Sua legítima proprietária, a chave, foi colocada na fechadura e expulsou a aranha.


Leonardo da Vinci

A Lebre e o Cão de Caça

autor:  Esopo 

A Qualidade de uma ação sempre depende da importância do seu motivo...
Fábulas de Esopo - A Lebre e o Cão de Caça











Um Cão de caça, depois de obrigar uma Lebre a sair de sua toca, e após de uma longa e exaustiva perseguição, de repente parou a caçada dando-se por vencido.
Um Pastor de Cabras, ao vê-lo prostrado e visivelmente abatido, ridicularizou-o dizendo: "Aquele pequeno animal é melhor corredor que você..."
Ao que o Cão de caça responde:
"Está claro que o Senhor não é capaz de compreender a diferença que existe entre nós! Eu estava correndo apenas para conseguir um jantar, mas ele, ao contrário, corria por sua Vida..."


Moral da História 1:

O motivo pelo qual realizamos uma tarefa, isso, é o que vai determinar sua qualidade final...


Moral da História 2:

Quanto maior o tamanho da recompensa no final, maior será o tamanho do nosso empenho desde o início...